PUBLICIDADE
Jornal
teatro

Histórias de pescador

Linete Matias nasceu no povoado Potengy, próximo a Foz do Rio São Francisco, em Alagoas. Quando criança, ouvia da boca dos pescadores as muitas histórias que fluíam rio abaixo, rio acima. Assim, cresceu em meio aos encantos e saberes do povo ribeirinho. "Fui uma criança que sempre gostou de estar perto dos mais velhos e ouvir suas histórias de sabedoria. Eles sempre nos educavam com as lendas, histórias surreais", conta.

Por isso é que Encantados das Águas, espetáculo que toma lugar na programação do Festival Internacional de Contos na próxima sexta, 15, reúne histórias que Linete, arte-educadora e musicista, vem ouvindo desde criança, na esteira da porta de casa. Em 2013, ela seguiu o curso do rio e andou por Alagoas e Sergipe, contando e ouvindo histórias sobre Nego D'água, Mãe D'água e fogo corredor. Baseada no que viu e ouviu, ela apresenta um vasto repertório de canções, versos e contos num passeio sobre pescadores, lavadeiras e lendas dos seres encantados das águas.

"O trabalho da escuta faz com que a gente se sinta vivo, estabeleça emoção, e isso é muito importante. Estabelecer essa relação com a oralidade proporciona contato com o outro para além da tecnologia, algo que está desaparecendo", pondera a educadora. Com um repertório de cerca de 30 histórias, o espetáculo tem data marcada para esta quinta-feira, 14, na Escola Euclides Pereira Gomes, no Pecém, e na sexta, 15, no Centro Cultural Banco
do Nordeste.

Linete Matias é formada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Alagoas. Atua como professora, musicista e pesquisadora da música popular de tradição.

TAGS