PUBLICIDADE
Jornal
COCÓ

Domingo é dia de natureza, brincadeiras, lazer e descanso no Parque do Cocó

| COCÓ | Visitantes aproveitam a área verde com diversidade de atividades para adultos e crianças

Jhonata: brincadeira no parquinho e pintura do Flash no rosto
Jhonata: brincadeira no parquinho e pintura do Flash no rosto

Acordar cedo no domingo não é problema para quem decide aproveitar a manhã no Parque do Cocó. Seja para se exercitar, tomar um café da manhã em clima de piquenique ou apenas sentar na grama para contemplar o imenso verde, frequentadores assíduos e visitantes de primeira vez arrumam um jeito de se integrar à paisagem e viver o parque à sua maneira.

A estudante Neuza Rodrigues, 26 anos, por exemplo, optou por uma experiência mais radical e se "jogou" na tirolesa para aproveitar o arvorismo, atração que conta com 10 estações de ecoaventura. "Eu adoro essas coisas. Geralmente, quando eu vou em outros lugares eu faço. Mas aqui no parque ainda não (tinha experimentado)", conta. Natural de Granja, Neuza, que foi ao Cocó com uma amiga, também diz que o espaço ajuda a amenizar a saudade da sua terra.

"Eu adoro o contato com a natureza. Como a gente é do Interior, é quando a gente se sente um pouquinho mais em casa. A gente passa a semana correndo, faculdade, trabalho, aí fim de semana a gente quer um tempinho pra nós. Dá uma lembrancinha de casa, mata a saudade um pouquinho", compartilha a estudante.

Com o projeto "Viva O Parque", o público tem à disposição uma diversidade de atividades, como tai chi chuan, ioga, biodança, zumba, dança de salão, capoeira, slackline e apresentações culturais. As crianças também estão contempladas na programação infantil, que reúne jogos coletivos, aulas de circo, pintura facial, contação de histórias, teatro de bonecos, teatro de rua e malabares.

A consultora de vendas Natália Oliveira, 32 anos, levou os três filhos, Ana Letícia, Ana Beatriz e Cauã, como de costume, para brincarem "despreocupados". Desta vez, ela aproveitou para apresentar o Cocó ao namorado Otávio Lopes, 30 anos, e à filha dele, Rebeca, 7 anos, que não conheciam o parque.

"Eu sempre costumo trazer os meninos pra cá. É bem tranquilo para as crianças estarem brincando, correr. Não tem preocupação que vai machucar, que vai passar uma bicicleta, um carro. É show de bola", avalia a consultora. Além do café de amanhã juntos, o grupo ainda pretendia fazer o passeio de barco pelo Rio Cocó. Para Otávio, o passeio foi aprovado. "Está tranquilo, agradável. Ainda vamos fazer a trilha", diz o assistente comercial.

Quem também se refugiou por uns instantes sob o verde do Cocó foi o supervisor de produção Jacques Barros, que, mesmo tendo se mudado para a cidade de Aquiraz, afirma deixar os domingos marcados para ir com o filho Jhonata Barros, 5 anos, para o que ele chama de "santuário".

"Aqui é um refúgio. Quando eu morava em Fortaleza eu já vinha pra cá, sempre aos domingos. Ele (Jhonata) insiste, então todo fim de semana já tem agenda marcada com ele", comenta Jacques. Com uma pintura facial do super-herói Flash, Jhonata diz o que mais gostou de fazer na manhã: "Brincar no escorregador".

A tranquilidade do Cocó também atrai tutores que levam seus pets para brincarem e socializarem no ambiente. É o caso do servidor público Edson Amarante, 27 anos, que foi visitar o parque pela primeira vez com a golden retriever Malu. "Aqui tem uma interação muito boa. É um espaço aberto e pros animais é muito bom. Eles têm interação com outros animais, com pessoas. Ela está gostando bastante", aprova o funcionário público.

Isaac de Oliveira